________________________________________________Estudo do Sítio de Naufrágio da Nau Nossa Senhora da Luz (1615)


A nau capitânia Nossa Senhora da Luz naufragou na costa sul da ilha do Faial, à entrada da baía de Porto Pim, em Novembro de 1615, na fase final de uma ligação atribulada entre a capital do Estado da Índia e Portugal.

O sítio arqueológico ocupa uma vasta área a 6-8 m de profundidade, dominada pela presença de blocos e afloramentos, onde surgem algumas bolsas de cascalho ou cobertura arenosa. Os vestígios de superfície incluem materiais cerâmicos (porcelana e grés), metálicos, pedras de lastro e objectos em vidro. Na sua maioria estes encontravam-se encaixados entre os blocos rolados e os afloramentos, apresentando pequenas dimensões e, nalguns casos, evidentes sinais de degradação das superfícies. A análise destes depósitos e a distribuição dos materiais, que não revelou qualquer padrão significativo, sugerem que o naufrágio foi profundamente perturbado por processos pósdeposicionais, integrando um ambiente particularmente adverso à preservação do registo arqueológico.

O estudo integrado da documentação histórica e arqueológica permitiu, porém, obter dados sobre a cultura material relacionada com o navio. A análise das listas das mercadorias recuperadas após o naufrágio sugere que entre a carga os tecidos tinham uma importância quantitativa relevante, uma vez que a maioria das referências dizem respeito a têxteis, em bruto ou já manufacturados, com predomínio dos produtos em algodão, como os beirames, as beatilhas e os canequins. Na Nossa Senhora da Luz vinham ainda outras mercadorias com representação quantitativa menos relevante – pedras preciosas, especiarias (pimenta, canela e noz-moscada) e outras drogas, alcatifas, porcelanas, mobiliário, contas ou objectos em marfim, algumas com expressão no registo arqueológico.

Tendo em conta a avaliação dos dados disponíveis acima referidos, os objectivos deste projecto são os seguintes:
1. Identificação, delimitação, posicionamento e registo dos vestígios de superfície relacionados com o naufrágio da NSL ou outras actividades na baía de Porto Pim;
2. Avaliação dos depósitos arqueológicos enterrados relacionados com a NSL;
3. Continuição da investigação histórica da documentação relacionada com a NSL, integrada no estudo da Carreira da Índia e da escala dos Açores no século XVII;
4. Divulgação e valorização do património cultural subaquático da ilha do Faial.

Entidade responsável:Centro de História de Além-Mar, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e Universidade dos Açores.

Duração: 2011-2012

Investigador Responsável: José António Bettencourt


© Centro de História Além-Mar - FCSH-UNL|UAç