Publicações

HOMEEnglish
Publicações
Repensar a identidade. O mundo ibérico nas margens da crise da consciência europeia

Ao longo dos séculos XVII e XVIII as dimensões identitárias do mundo ibérico foram objecto de intensos debates. Muitos foram os que, na Península Ibérica, em outros pontos da Europa, nas Américas e, ainda, na Ásia, se dedicaram a repensar os traços identitários. 

 

Nesses anos de grandes mudanças e marcados, a partir de 1668, pela separação política entre Portugal e a Monarquia espanhola, foram discutidos, por vezes com grande intensidade, os atributos (religiosos, corporativos, jurisdicionais, nacionais, étnicos, linguísticos, etc.) não só dos castelhanos e dos portugueses, mas também dos aragoneses, dos catalães, dos biscainhos, dos variados grupos criollos das Índias de Castela ou dos morado-res das diversas partes da América portuguesa. Tais debates tiveram como «pano de fundo» a desagregação do grande projecto católico de dominação universal e, também, o desenvolvimento, na Europa setentrional, de novos modelos de organização social e política, dirigidos tanto para o Velho Mundo, quanto para os territórios coloniais.

 

Os estudos reunidos neste livro versam sobre esta problemática. Analisando um variado conjunto de debates sobre os traços identificadores do mundo ibérico, este conjunto de trabalhos é revelador do carácter relacional e processual das noções identitárias, bem como das disputas e das negociações que tais noções suscitaram, tanto na Europa, quanto fora dela, durante os séculos XVII e XVIII.






Repensar a identidade. O mundo ibérico nas margens da crise da consciência europeia, David Martín Marcos (org.), José María Iñurritegui (org.), Pedro Cardim (org.), Lisboa: CHAM, 2015, 342p., (Colecção Estudos & Documentos, 23)

ISBN: 9789898492289




Leia a recensão de Alexander Ponsen publicada em «e-Journal Portuguese History»(.pdf)

Disponível em Acesso Aberto no RUN - Repositório da NOVA(Web)