Projectos

HOMEEnglish
Jesuítas Portugueses no Extremo Oriente nos séculos XVI-XVII Descrição

A história dos jesuítas no Extremo Oriente é conhecida no seu contexto geral e constitui uma componente fundamental na história de Portugal na região. Devido ao desenvolvimento do modelo de acomodação cultural, os padres jesuítas foram vistos como os pioneiros de uma certa abertura da civilização ocidental aos valores da civilização oriental. A historiografia tem estudado este processo, quase exclusivamente, sobre o ponto de vista dos padres jesuítas italianos. Em regra nomes como Gnecchi-Soldo, Valignano ou Ricci ofuscam os de outros missionários que também defenderam esta abertura ao outro.

Este projecto, desenvolvido entre Setembro de 2005 e Outubro de 2008, numa parceria entre o CHAM e a Brotéria, pretende dar a conhecer à comunidade científica e ao público interessado um vasto conjunto de correspondência trocada entre padres jesuítas portugueses, no último terço do século XVI e na primeira metade do século XVII, dando, assim, a conhecer a participação portuguesa neste processo civilizacional.  Prevê-se a transcrição, a edição crítica e a publicação da correspondência trocada entre oito jesuítas que operaram no Extremo Oriente, no último terço do século XVI e na primeira metade do século XVII, podendo assim, tornar acessível um grande número de documentação acerca dos jesuítas, contribuindo para um aprofundamento do estudo da História do Cristianismo no Extremo Oriente e do papel de Portugal na história da evangelização da China e do Japão.

Objectivos

O objectivo inicial do projecto «Jesuítas Portugueses no Extremo Oriente nos séculos XVI-XVII» consistia na transcrição paleográfica e edição crítica da epistolografia de oito jesuítas que, no último terço do século do século XVI e a primeira metade do século XVII, missionaram no Extremo Oriente. O trabalho de levantamento e transcrição documental foi elaborado pela bolseira do projecto, a Dr.ª Madalena Ribeiro, sendo a edição crítica das epístolas da responsabilidade dos membros da equipa do projecto. A correspondência em questão referia-se aos seguintes jesuítas:

  • Francisco Cabral (1533-1609) – Superior do Japão entre 1570 e 1580, Provincial da Índia entre 1592 e 1597 (33 cartas);

  • Diogo Mesquita (1551-1614) – Superior do Colégio de Nagasaki, introdutor das plantas ocidentais no Japão, grande defensor da admissão do clero nativo (25 cartas);

  • Lourenço Mexia (1539-1599) – Companheiro de Valignano (32 cartas);

  • D. Luís Cerqueira (1552-1614) – Bispo do Japão entre 1598 e 1614 (136 cartas);

  • Luís Fróis (1532-1597) – Um dos pioneiros do modelo de acomodação cultural, autor de A História do Japão;

  • Duarte de Sande (1547-1599) – Superior da China e um dos pioneiros desta missão (22 cartas);

  • Manuel Dias Sénior (1559-1639) – Pioneiro da missão da China, Reitor do Colégio de Macau (47 cartas);

  • Manuel Dias Júnior (1574-1659).

O júri que avaliou e classificou a proposta original propôs para a execução deste projecto a atribuição de 38% da verba solicitada, o que se reflectiu inevitavelmente na concretização do projecto. Assim, foi opção da equipa de investigação proceder à transcrição das cartas do bispo D. Luís Cerqueira, que corresponde ao maior núcleo dentro dos oito missionários escolhidos originalmente.

Foram transcritas 115 cartas, num total de 523 páginas originais, que se encontram no Arquivo Romano da Companhia de Jesus, Arquivo Secreto do Vaticano, Biblioteca Pública de Évora, Real Academia de la História (Madrid), British Library, Biblioteca da Ajuda e Biblioteca Real de Bruxelas. Os textos foram transcritos a partir de microfilmes ou de digitalizações obtidos junto dos respectivos arquivos, ou já existentes na Filmoteca Ultramarina.

Código: POCTI/HAR/55684/2004

Início: 2005

Duração: 36 meses

Investigador Principal: João Paulo Oliveira e Costa (CHAM)


Instituições
Entidade(s) Financiadora(s)
- Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Unidade de Investigação Promotora
- Faculdade de Ciências Sociais e Humanas / Universidade Nova de Lisboa

Unidade de Investigação Principal
- Centro de História d'Aquém e d'Além-Mar / Faculdade de Ciências Sociais e Humanas/Universidade Nova de Lisboa | Universidade dos Açores

Parcerias
- Revista Brotéria