Projectos

HOMEEnglish
Bombaim antes dos Ingleses. A marca portuguesa no território da Península de Bombaim Descrição

A maior parte do território compreendido entre o rio de Damão a norte e Colaba a sul foi controlado por Portugueses durante 200 anos, entre a década de 1530 e a década de 1740. A este território os portugueses chamavam Província do Norte. A sua capital era Baçaim. O centro histórico de Mumbai, entre o rio de Bandra e Colaba, foi cedido aos ingleses depois de 1661. Mas o território imediatamente a norte (Salsette e Baçaim) e outras áreas a leste (Trombay, Uran), hoje integradas na metrópole, mantiveram-se sob poder português durante mais um século.

Existe uma surpreendente quantidade de informação não-publicada, publicada mas esquecida ou pouco conhecida acerca desta realidade histórica: desde logo, ruínas e vestígios no terreno de cidades inteiras, partes de cidades, povoações mais pequenas (Baçaim, Chaul, Taná, Bandra, etc.), fortes e casas fortificadas, igrejas e conventos, casas e aldeias, caminhos e pontes. Seguidamente, cartografia, gravuras e desenhos, velhas fotografias, documentos nunca publicados de arquivos portugueses, indianos, britânicos, italianos, uma vasta bibliografia antiga e mais recente.

A expressão “Bombaim antes dos Ingleses” e o acrónimo BBB (“Bombay Before the British) designam um projecto de investigação conjunto entre o Centro de Estudos de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (CEARQ) e o Centro de História de Além-Mar da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (CHAM) cujos trabalhos tiveram início em 2002.

É tese desta equipa de projecto confirmar ou infirmar que a “pré-história” da Bombaim colonial explica em grande medida a actual forma urbis de Bombaim e o crescimento explosivo da ocupação urbana do seu vasto território a partir das décadas finais do século XIX.

De facto, podem ter sido as povoações, os fortes e a rede de caminhos criados no período português, bem como as suas comunidades católicas fortemente urbanizadas que aproveitaram e completaram essas infra-estruturas, que estabeleceram a rede que a Bombaim britânica veio preencher, completar e estender. Acresce que esta “pré-história” se prolonga pela “história” adentro até aos anos de 1920-30, visto que a emigração goesa católica para Bombaim a partir de cerca de 1850, veio densificar e acrescentar valor às povoações e rede de caminhos que os portugueses haviam deixado.

Objectivos

Os objectivos do projecto são compilar e disponibilizar o máximo de informação sobre a história territorial, arquitectónica, política, socio-económica e religiosa da presente Área Metropolitana de Mumbai/Bombaim durante o período português (séculos XVI a XVIII), e possibilitar a avaliação dos impactos urbanísticos e territoriais do legado português sobre o crescimento metropolitano nos séculos XIX e XX.

Para traçar a história do antigo Distrito de Baçaim e da actual metrópole de Bombaim, é preciso, em primeiro lugar, reler e re-trabalhar toda a vasta bibliografia escrita em português e inglês sobre a Província do Norte. São particularmente importantes neste quadro as descrições da área feitas tanto por portugueses como por britânicos. Ao mesmo tempo, completar-se-á o levantamento dos vestígios materiais da presença portuguesa, já iniciado por membros desta equipa: fortalezas e igrejas, restos de bairros e edifícios civis.

Em segundo lugar, há muito material escrito, cartográfico e fotográfico ainda por trabalhar. Se já se localizaram algumas cartas portuguesas do século XVIII até agora não referenciadas, e algumas fotografias de edifícios desaparecidos, falta ainda sistematizar a pesquisa em vários arquivos e bibliotecas tanto portuguesas como indianas (Bombaim e Goa). É imprescindível levantar e estudar o ainda inédito vastíssimo corpus documental sobre a presença portuguesa na região, dos séculos XVI a XVIII, estando este disperso por numerosos arquivos e fundos, de forma a acrescentar decisivamente a incipiente historiografia moderna sobre o tema.

Por fim, cumpre assinalar que não existe cartografia contemporânea fiável da cidade e da sua área metropolitana: deste modo, será necessário trabalhar a partir de fotografias de satélite geo-referenciadas para reconstituir a forma do antigo território do Distrito de Baçaim e reconstituir os passos da sua densificação urbana entre o século XIX até ao nossos dias.

 

Código: POCTI/HAR/47225/2002

Início: 2004

Duração: 40 meses

Investigador Principal: Walter Rossa (CES / UC)


Instituições
Entidade(s) Financiadora(s)
- Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Unidade de Investigação Promotora
- Faculdade de Ciências e Tecnologia / Universidade de Coimbra

Unidade de Investigação Principal
- Centro de Estudos em Arquitectura / Universidade de Coimbra

Participação
- Faculdade de Ciências Sociais e Humanas / Universidade Nova de Lisboa

Apoios
- Fundação Oriente

Parcerias
- Centro de História d'Aquém e d'Além-Mar / Faculdade de Ciências Sociais e Humanas/Universidade Nova de Lisboa | Universidade dos Açores