Ciclo de Conferências da Cátedra UNESCO26.05.2022
O Património Cultural dos Oceanos — SEA US 2022
15h00 (GMT) | em directo no Canal de YouTube da Cátedra Afinidades eletivas: o gesto antológico face ao infindável do mar, Carlos Carreto e Luís Sousa Martins (IELT, NOVA FCSH)

 

Este projeto antológico apela à análise, mas solicita também intencionalidades subtis: em textos que abstraem o mar das matérias que o tornam visível e alimentam o fluxo fugaz das sensações; ao desvendar problemáticas e celebrar novos questionamentos. Muito acontece connosco, na colaboração, edição e revisão, mas o destino das publicações é menos decidido que achado, mais encontrado que consciente: os ajustes metodológicos e teóricos que fazemos expõem a porosidade das paredes que se erguem entre temas, até negam as aporias com que, em geral, cristalizamos tais experiências no tempo (futuro perfeito, passado e presente). Assim, a ordem das participações prepara-nos para a iteração seguinte, move-nos entre estilos de expressividade e escrita sem o incómodo da imitação que satura. O gesto antológico é de igual modo impelido por uma revelia que diversifica as perceções mais comuns e nos traz mais mar que terra, mesmo quando é nesta que montamos o cenário, tanto reflexão analógica quanto interdisciplinar, mesmo que estejamos no domínio do pensamento teoricamente circunscrito. Sentimos um incerto desconforto ao despojarmos os artigos das respetivas fronteiras disciplinares e transformá-los, para serem parte de uma coletânea, numa imagem que reformula a identidade e o valor estético de cada um. Criamos, como resultado, um processo emergente que revela o mar através de existências que nos excederão sempre devido à vasta constelação de fenómenos que o caracteriza: individualmente atribuímos a cada artigo um peso ontológico equivalente ou aproximado, apesar de no conjunto manifestarem adequações cognitivas e simbólicas diversas. Isto é, longe de se fundarem numa proposta metafísica e na ansiedade por uma transcendência, que estruturariam em linhas rígidas a sua perceção, neste Projeto Antológico de Imaginários do Mar tentamos desenvolver uma abordagem que se recusa a ser o refúgio de uma solidão: cada página é só o convite para se pensar e historiar o mar.

 

 

Organização

Cátedra UNESCO «O Património Cultural dos Oceanos»

 

Apoio

CHAM / NOVA FCSH