Ciclo de Conferências da Cátedra UNESCO25.02.2021
O Património Cultural dos Oceanos — SEA US 2021
15h00 (GMT) | em directo na página facebook da Cátedra UNESCO «O Património Cultural dos Oceanos» Diogo Carvalho Cabral, Horizontalidade, Negociações e Emergência: Princípios Teoóricos da História Ambiental

 

A fim de auxiliar na construção teórica da História Ambiental, essa comunicação proporá três princípios fundamentais a orientar investigação e escrita: horizontalidade, negociação e emergência. A horizontalidade se refere à inexistência de um 'chão' dado e absoluto para a vida . Caminhamos, construímos nossas casas, ganhamos a vida e desenvolvemos ideias e culturas não em cima de um 'piso ontológico', mas afetando e sendo afetados pelos corpos que nos cercam, alguns deles animados e alguns não, alguns sólidos e alguns outros líquidos e gasosos. Habitar é colocar-se à disposição para ser habitado. A habitação mútua tece assemblages que são tanto o recipiente quanto o conteúdo da vida. Negociação alude à conversa humana com um mundo maior, animado e inanimado, sobre as possibilidades de coexistência. Os humanos nunca conseguem tudo o que desejam, precisamente da maneira que desejam, das suas relações com os não-humanos. Isso significa que os humanos estão ininterruptamente se tornando num contínuo devir, à medida que eles e suas atividades se acoplam às outras entidades naturais e suas atividades. A emergência, por sua vez, está ligada à radical geo-historicidade de todas as coisas terrenas, cujo caráter nunca é dado de antemão, mas constituído conforme elas fazem seu caminho pelo mundo.

 

Organização

Cátedra UNESCO «O Património Cultural dos Oceanos

 

Apoio

CHAM / NOVA FCSH