PT EN
CHAM TALKS24.03.2023
Da poesia luso-árabe à nova música portuguesa, por Eduardo M. Raposo

   

A arqueologia náutica e a Lisboa dos séculos XVII e XVIII.

 

A influência da cultura árabe na lírica portuguesa é conhecida. Mas Eduardo M. Raposo traz uma nova abordagem sobre essa herança, sublinhando a importância do «Século de Almutâmide». Em conversa no CHAM Talks, o investigador fala sobre o impacto do zéjel (canção árabe-andalusa) na poesia galaico-portuguesa, aragonesa e italiana e recorda as cortes interculturais dos primeiros reis de Portugal, formadas também por moçárabes. Eduardo Raposo destaca a forma como a poesia e a música ajudam a redescobrir uma matriz mediterrânica riquíssima, anterior à Inquisição, e explica como a poesia luso-árabe está presente na actual música portuguesa..

Eduardo M. Raposo é investigador integrado do CHAM – Centro de Humanidades, especialista em história da cultura e das mentalidades contemporâneas. Tem dirigido revistas culturais como Alma Alentejana e Memória Alentejana, esta há 23 anos. Organizou mais de 90 colóquios, tertúlias e encontros culturais. Publicou biografias sobre Urbano Tavares Rodrigues, Cláudio Torres e Fonte Santa. Participou na Enciclopédia da Música em Portugal no Século XX e é autor de oito livros entre eles dois sobre o Canto de Intervenção e artigos sobre o Cante Alentejano.

 

 

A entrevista é conduzida por Teresa Lacerda.


 

Coordenação

Isabel Araújo Branco (CHAM)

 

Organização

CHAM / NOVA FCSH

 

CHAM TALKS