A Antiguidade e a sua Recepção

 

 

 

A Antiguidade foi, em diferentes épocas e ao longo do tempo, percepcionada de várias maneiras. Se pensarmos nos relatos dos viajantes europeus que percorreram as terras do Próximo e do Médio Oriente desde a Idade Média, encontramos muitas referências culturais que expressam uma certa estranheza e perplexidade perante a alteridade, assim como exprimem ideias preconcebidas em torno da História Antiga, propagadas tanto pelos autores clássicos quanto pela Bíblia.

A estes testemunhos, juntam-se outras fontes, textuais e iconográficas, que reflectem uma representação diacrónica da Antiguidade. Este vasto corpus oferece informação valiosa no que respeita à forma como a Antiguidade foi sendo entendida, tornando-se essencial para analisar as percepções/reflexões culturais do outro Antigo.

Ao mesmo tempo, este grupo desenvolve vários estudos centrados na História e Civilização da Antiguidade, do Egipto à Mesopotâmia e ao mundo clássico, que se tornam fundamentais para o entendimento da sua recepção em períodos posteriores, já que aquelas civilizações contribuíram activamente para as culturas do mundo bíblico e clássico.

Assim, a interdisciplinaridade é central na concretização destes objectivos, alcançada através do trabalho combinado de projectos individuais e de equipa, focados na História, na Literatura, na Linguística e na Arqueologia.

 

 

 

A Torre de Babel, de Bruegel, o Velho
 



Helena Trindade Lopes
Coordenadora

Manuel F.S. Patrocínio
Vice-Coordenador

Ronaldo Gurgel Pereira
Representante na Comissão Permanente da Comissão Científica